Entendendo a análise fundamentalista [Guia 2024]

Entendendo a análise fundamentalista.

Você está em busca de ações de empresas com alto potencial de valorização? Então é importante que conheça a análise fundamentalista, ela é um dos modelos de avaliação utilizados por quem procura oportunidades de investimento, sobretudo de longo prazo.

Continue conosco e confira em detalhes o que é análise fundamentalista, como ela funciona, porque e quando utilizá-la durante a tomada de decisão no Trading.

Aviso

O Trading expõe você a riscos de perda financeira exponenciais. Essa atividade é adequada para pessoas experientes, com perfil de investidor arrojado e, preferencialmente, com recursos financeiros que suportem os riscos e compreendam o funcionamento dos produtos negociados.

Altamente especulativas e particularmente complexas, as transações em instrumentos de câmbio (FOREX) e contratos por diferença (CFD) estão associadas a um nível ainda mais elevado de risco devido à possibilidade de alavancagem das posições.

Publicados para fins educacionais, os conteúdos do NewTrading não são, em nenhum caso, um aconselhamento em investimentos nem uma incitação a comprar ou vender ativos financeiros.

Siga a leitura e veja como esse tipo de análise pode contribuir para a construção de uma carteira de ações vencedora.

O que é análise fundamentalista?

Análise fundamentalista: definição

A análise fundamentalista é uma metodologia usada para determinar o valor intrínseco de um ativo (preço justo ou real) por meio da análise de indicadores financeiros, econômicos, sociais e políticos. 

Em uma negociação fundamentalista, as decisões de investimento se baseiam na diferença entre o valor intrínseco de um ativo e o seu valor de mercado (preço atual).

Assim, quando o preço justo é menor que o atual, há uma oportunidade de lucrar com a venda do ativo a descoberto, visto que ele é considerado supervalorizado.

Por outro lado, se o valor intrínseco for superior ao valor de mercado, você pode tirar proveito disso comprando posições, porque o ativo está certamente desvalorizado.

Como determinar a valorização de um ativo financeiro?

Traders e investidores utilizam diversos modelos de avaliação de ativos, principalmente no mercado de ações, como:

  • Avaliação por comparação (abordagem comparável)

Essa técnica consiste em comparar um ativo com outros semelhantes, como uma empresa com outras de perfil equivalente.

Neste caso, as características financeiras e operacionais devem ser consideradas, por meio de múltiplos ou indicadores financeiros que forneçam informações sobre o valor do ativo como as relações preço/lucro (P/L), preço/venda (P/S) e preço/valor contábil (P/B).

  • Avaliação baseada no fluxo de caixa descontado ou DCF (Discounted Cash Flow).

Essa técnica se baseia no fato de que uma empresa sempre valerá mais amanhã do que hoje. Logo, o método DCF consiste em encontrar o valor de uma companhia com base nos fluxos de caixa descontados que ela deve gerar no futuro.

Análise fundamentalista x Análise técnica

Enquanto a análise fundamentalista se concentra no preço justo de um ativo segundo os seus principais fundamentos, a análise técnica se baseia apenas na evolução do preço atual dos papéis.

Através da análise técnica, o Trader consegue mapear inúmeras variáveis de movimento dos preços para determinar como o ativo progredirá. Para isso, ele deve utilizar principalmente gráficos e indicadores técnicos.

Análise fundamentalista e Análise comportamental

A análise fundamentalista também difere da análise comportamental, visto que esta última leva em consideração a psicologia dos Traders, ou seja, os fatores e vieses emocionais, cognitivos e psicológicos que ditam as suas decisões.

Com isso, a análise comportamental ajuda a entender melhor o sentimento geral do mercado e a identificar o momento ideal para comprar ou vender ativos.

Análise fundamentalista nos diferentes mercados financeiros


Embora algumas ferramentas de análise fundamentalista sejam utilizadas para avaliar vários mercados financeiros, outras são específicas para determinadas classes de ativos. Veja:

Análise fundamentalista de ações

A abordagem para identificar as melhores oportunidades de negócio no mercado de ações vai determinar se o Trader deve focar no aspecto micro ou macro.

Contudo, em qualquer situação os dados econômicos, do setor, do ambiente competitivo e da própria empresa devem ser considerados.

Análise fundamentalista de índices de ações

Os índices do mercado de ações geralmente reagem às perspectivas econômicas, seja o Ibovespa, o CAC 40, o NASDAQ ou o FTSE.

Assim, quanto maior a expectativa de crescimento, mais altos serão os gastos, e isso normalmente eleva os preços das ações. Por outro lado, quando a perspectiva é negativa, ou simplesmente incerta, os gastos diminuem, podendo pesar sobre os preços das ações. 

Portanto, os índices bolsistas reagem a qualquer notícia econômica que possa alterar o nível de crescimento de um país. Vale destacar que nem todos os setores reagem da mesma forma durante um boom econômico ou uma recessão. 

Logo, é interessante estar familiarizado com os setores predominantes nos índices negociados, assim como conhecer as ações de maior peso na sua composição. Desta forma, é possível saber qual é o setor que mais influencia o valor do índice.

Enquanto o NASDAQ inclui a maioria das ações do setor de tecnologia, o CAC 40 possui muitas ações do setor de consumo discricionário, por exemplo.


Bom saber

As ações da Vale (mais de 13%), Petrobrás (mais de 7%) e Itaú Unibanco (mais de 7%) representam mais de 27% do Ibovespa, segundo a carteira do índice divulgada em 25 de janeiro de 2024.

Análise fundamentalista de moedas

O player mais influente no mercado de câmbio (FOREX) geralmente é o Banco Central. Através da política monetária, ele influencia a quantidade e o valor da moeda em circulação em uma determinada economia.

Em outras palavras, um banco central pode interferir na oferta e na demanda de uma moeda seja alterando a sua taxa básica de juros ou intervindo nos mercados (flexibilização quantitativa). É assim que uma moeda ganha ou perde força em relação a outra.

Em geral, os bancos centrais visam garantir a estabilidade de preços. Por isso, em uma análise fundamentalista é necessário considerar os números da inflação, do emprego, crescimento (PIB), confiança, entre outros.

Neste caso, um calendário econômico que reúna todas essas estatísticas publicadas diariamente pode ser a melhor ferramenta a ser utilizada.

Análise fundamental de criptomoedas

O mercado de criptomoedas é relativamente novo, cujos fundamentos ainda são pouco conhecidos. Mesmo assim, existem alguns aspectos relevantes do blockchain e da criptomoeda a serem considerados.

Por exemplo, a evolução do número de tokens disponíveis em relação ao total criado, o volume de negociação, a liquidez de uma criptomoeda ou o número de plataformas de câmbio que oferecem negociação de tokens.

A popularidade de um blockchain, a taxa de adoção e aceitação de uma moeda, o número de endereços criados, a taxa de hash, a concorrência ou as parcerias também são pontos interessantes de se avaliar.

Uma análise geral do mercado, bem como a evolução da legislação e regulamentação, servirá para entender melhor o atual momento do mercado de criptomoedas.

Análise fundamentalista de commodities

Para fazer a análise fundamentalista de uma commodity, primeiro é preciso identificar quais fatores mais influenciam a sua oferta e demanda. Por exemplo, o tempo e o clima possuem uma forte influência particularmente nas commodities agrícolas.

Alguns agentes, no entanto, podem influenciar todas as commodities, como o valor do dólar americano, a situação geopolítica global, os custos de produção, o nível de suprimentos disponíveis e o crescimento econômico.

Análise top-down vs Análise bottom-up

A análise top down e a análise bottom up são estratégias populares no mercado de ações para determinar as melhores empresas para investir. A seguir, conheça um pouco mais sobre cada uma delas.

O que é análise top-down?

A análise top-down é um modelo de avaliação fundamentalista que parte da análise macroeconômica para chegar às empresas individuais mais promissoras.

O primeiro passo nesse tipo de análise é estudar as tendências econômicas de um país, considerando o crescimento, a taxa básica de juros, a inflação e as políticas fiscais ou comerciais, por exemplo. 

Assim, é possível ter uma ideia de que fase do ciclo econômico o país se encontra e em quais setores se concentrar.

O próximo passo é examiná-los e identificar o mais promissor. Durante esta etapa, também pondere as tendências do setor e as condições e forças do mercado.

Por fim, se concentre nas empresas individuais de cada setor para avaliar as melhores oportunidades de investimento.

O que é análise bottom-up?

A análise bottom-up consiste em analisar inicialmente os fundamentos de uma empresa para determinar a sua atratividade. Nela, primeiro se avalia o desempenho financeiro, o nível de endividamento e de crescimento, através das demonstrações contábeis e demais instrumentos.

Nesse modelo de abordagem, os produtos ou serviços oferecidos pelas empresas, assim como a sua estratégia comercial, a sua vantagem competitiva ou os projetos de desenvolvimento também devem ser avaliados.

Só então os outros critérios, como o setor de atividade ou o cenário econômico atual, são analisados para escolher as empresas mais interessantes.

Na análise bottom-up, as empresas são estudadas individualmente e não com base nos movimentos gerais do mercado financeiro ou nas perspectivas de setores específicos. 

Essa abordagem considera que algumas empresas podem alcançar bons resultados ainda que o seu setor de atividade desacelere.

Análise micro e Análise macro

Como visto, você pode optar por uma análise fundamentalista que parte da microeconomia (abordagem bottom-up) ou que inicia pela macroeconomia (abordagem top-down). Veja como:

O que é microeconomia na análise fundamentalista?

A análise fundamentalista no nível micro deve feita quando se deseja determinar o valor de uma empresa de capital aberto. Assim, é mais fácil estimar o valor das ações e dos títulos das empresas em questão, bem como os derivativos associados.

Neste caso, a análise incidirá sobre a atividade da empresa, seus dados financeiros, a popularidade dos seus produtos ou serviços, o seu nível de endividamento, entre outros fatores. Ela não leva em conta o cenário macroeconômico no qual a empresa opera. 

A abordagem microeconômica na análise fundamentalista baseia-se exclusivamente nos inúmeros dados contábeis e informações financeiras da companhia para determinar o seu preço real e potencial de valorização no longo prazo.

Como resultado, as ações costumam ser classificadas como cíclicas ou defensivas, ou ações de crescimento (growth) ou de valor (value).

O que é macroeconomia na análise fundamentalista?

A análise fundamentalista no nível macroeconômico concentra-se na situação econômica de um país, para ter uma visão global e completa.

Isso facilita na hora de identificar quais índices do mercado de ações, moedas ou até títulos públicos oferecem maior potencial de crescimento.

Logo, é preciso atentar-se a muitos dados macroeconômicos, como crescimento, inflação, taxa de desemprego e políticas monetárias. Aqui, os fundamentos específicos do ativo não são considerados. 

A abordagem macroeconômica da análise fundamentalista é baseada no estudo de indicadores e tendências econômicas (locais e internacionais) para entender o ambiente econômico no qual os ativos operam.

Assim, ela permite que você tenha uma ideia melhor das tendências emergentes, dos riscos macroeconômicos e das oportunidades de investimento.

Quais são as vantagens e limitações da análise fundamentalista?

Por que usar a análise fundamentalista em suas operações?

  • Ela fornece uma melhor compreensão do ativo que está sendo negociado e como o mercado financeiro funciona de uma maneira geral;
  • A análise fundamentalista é ideal para investidores com horizonte de longo prazo;
  • Esse modelo também ajuda a entender melhor os fatores que impactam os mercados no curto prazo com base nas principais tendências que podem surgir;
  • O uso da avaliação fundamentalista auxilia a prever melhor as tendências de longo prazo e a identificar empresas cujos preços das ações estão desvalorizados.

Quais são os riscos e limitações da análise fundamentalista?

  • Os resultados encontrados através da análise fundamentalista podem levar tempo para serem desenvolvidos;
  • Esse tipo de análise varia conforme os ativos analisados e, portanto, pode ser difícil de dominar. Por exemplo, mesmo no mercado de ações, muitos setores exigem uma abordagem única;
  • A interpretação dos dados pode ser equivocada;
  • Além disso, obter informações e dados transparentes, precisos e verdadeiramente úteis sobre os ativos costuma ser um desafio.

O que você deve lembrar sobre a análise fundamentalista?

Se você chegou até aqui, pode observar que a análise fundamentalista é uma ferramenta de grande importância para os adeptos do investimento em ações com foco no longo prazo. Ela é pautada nos dados qualitativos e quantitativos de uma empresa. 

Diferentemente da análise técnica, esse tipo de análise visa determinar se um ativo está corretamente valorizado em um determinado momento segundo os seus principais fundamentos. 

Como os preços podem variar conforme o seu valor intrínseco, qualquer ativo cuja valorização real seja maior ou menor que seu valor de mercado resultará em uma oportunidade de negociação.

Por isso, a interpretação dos dados quantitativos e qualitativos deve ser criteriosa para minimizar as chances de erros que comprometam os resultados. 

Gostou desse assunto? Então siga nos acompanhando e tenha acesso a conteúdos sobre o mercado de capitais e as suas oportunidades.

Aproveite e confira nosso conteúdo sobre as “melhores estratégias de Trading”.

author

Maxime PARRA

Apaixonado pelo mercado financeiro, Maxime pratica day trading desde os seus 18 anos. Já ministrou mais de cem palestras e treinamentos em prestigiadas escolas de negócios e engenharia na Europa. Atualmente, ele é CEO da Syntax Finance, uma agência que acompanha as principais marcas do setor financeiro mundial em suas estratégias de marketing de conteúdo.

Conteúdos para ir mais longe

Backtesting de uma estratégia de Trading: Guia Completo

Backtesting: o simulador de voo dos Traders

Melhor prevenir do que remediar. Se investir em uma conta de demonstração já é uma ferramenta poderosa para progredir sem.

05/02/2024
Pullbacks: Entendendo e Utilizando-os no Trading

Pullback: Entendendo as Oscilações do Mercado

Se a imagem de um navio navegando rapidamente sobre as ondas ilustra perfeitamente a forte tendência de um mercado, observar.

02/02/2024
Trading Heikin Ashi: operando com candles 2.0

Heikin Ashi: como operar com candles 2.0

As famosas velas japonesas, bastante conhecidas pelos Traders, apresentam uma grande falha: elas não filtram o ruído do mercado. Isso.

01/02/2024